Educar as crianças para salvar o futuro

31/10/2008 19:29

Ramy Shanayta
   

    Em um dia ensolarado no passeio da escola, um menino de dez anos, aos berros declara sua curiosidade. Olha é uma galinha!
    Rapidamente repete os mesmo movimentos que aquela ave fêmea da espécie "Gallus gallus domesticus" realiza. Pronto, a criança aprendeu um pouco do que é uma galinha, para isto necessitou a aproximação do ser com o animal.
    O reconhecimento da natureza só acontece através desta aproximação, deste contato, ou seja, de uma vivência. Neste aspecto é preocupante o fato da humanidade criar uma distância da natureza, fato confirmado através de inúmeros índices que revelam o desmatamento através de queimadas na Amazônia e a poluição dos rios e dos mares em nosso planeta.
    Nós que somos pais estamos dando determinados exemplos que não devem ser seguidos e que pouco contribui com o futuro de nossos filhos. Somos responsáveis por esta situação e por causa disto podemos transformá-la já. Quando alcançamos o entendimento que responsabilidade quer dizer comprometimento, amadurecemos para a capacidade de melhorar as nossas escolhas e modificar certos atos.
    Em minhas palestras eu costumo afirmar que criança e futuro são sinônimos, e quando existe lucidez na educação de uma criança estamos construindo a continuidade da vida e a existência do futuro.
    A educação de uma criança é essencial para a continuidade da vida coletiva e vale realizarmos uma revisão em nossa maneira em educar. Refletindo para construir um ensino que desenvolva uma abordagem na conscientização do elo, aonde educar possa desenvolver a consciência da continuidade da vida em seus aspectos físicos, estéticos, éticos, intelectuais, emocionais e espirituais.
    Qual é o momento certo para educar os nossos filhos?
    Por mais que procuremos determinados padrões, a vida ensina que educar é um ato natural e contínuo e educando aprendemos também, para isto é necessário aproximação. Os dicionários ensinam que aproximar é fazer que uma coisa fique ou pareça estar perto de outra ou tornar acessível ou compatível.
    Quando nos tornamos acessíveis aos nossos filhos podemos construir um caminho de mutuo desenvolvimento, levando-os a refletir, situação que é bem diferente de dar a resposta pronta, vale refletirmos no provérbio popular "ensinar a pescar ao invés de pescar por ele”.
    Uma criança em contato com a natureza, aprendendo a sentir o vento em seu rosto, a chuva em seu corpo, o chão de terra em seus pés, ouvir o canto dos pássaros, sentir o perfume das flores e a colher o fruto de uma árvore é sem dúvida mais feliz. Amadurece o reconhecimento sobre o que é a natureza e o que é consciência ambiental que resultará em um positivo futuro da vida no planeta terra.

Texto escrito por Ramy Shanayta, baseado no livro de sua autoria A natureza ensina... Aconexão com a luz da cura, Ed. KVT, 2008. É co-fundador do Instituto KVT, e Instituto KVT Desenvolvimento da Consciência Empresarial e ministra cursos, workshops e palestras voltados ao resgate da real natureza.

Site: http://www.kvt.org.br
Blog: http://a-natureza-ensina.blogspot.com/
e-mail: kvt@uol.com.br e kvt@kvt.org.br






 

 

 

Voltar