Lendas de Sangue. Flavia Idriceanu e Waine Bartlett. Madras Editora - Livro

Em quase todas as culturas existe um mito envolvendo vampiros ou outros monstros muito parecidos com esse ser que se alimenta de sangue. Com o passar do tempo, o símbolo do vampiro se tornou um veículo de fantasia sexual, um anti-herói romântico que exerce uma força sobre a imaginação popular.
Aproveitando essa imagem idealizada por muitas pessoas, os autores decidiram pesquisar a origem desse fascínio pelo personagem mais sanguinário das lendas e suas raízes históricas. Segundo dizem, o símbolo do vampiro já participa da história do mundo desde muito. Um dos casos em que ele apareceu é o do príncipe romeno Vlad, O Empalador, que quase sempre é associado ao conde Drácula. Ou a história de Elisabeth Bathory, que aparentemente usava sangue como um instrumento regenerador para conservar a juventude. Já no século 20, o vampirismo também veio à tona quando ocorreu o julgamento de Peter Kürten, o “vampiro de Dusseldorf”, por homicídio.
Com uma linguagem simples, mas detalhista, essa obra pretende esclarecer muitas das dúvidas que cercam essa famosa e misteriosa criatura.