Musicoterapia

Musicoterapia

A Musicoterapia tem como objetivo desenvolver potenciais ou restabelecer funções do indivíduo para que tenha uma melhor qualidade de vida.
Por Nydia do Rego Monteiro 
  
Ao lermos ou ouvirmos a palavra musicoterapia, seu significado imediato é o bem-estar que a música pode proporcionar. E logo pensamos: é ouvir música para ficar bem. Essa é a forma mais simples e imediata de raciocinar sobre ela. Também temos o hábito de dizer que é terapia tudo que nos causa efeito positivo quando fazemos.
Mas a musicoterapia é muito mais que a palavra, que o significado imediato e o que pensamos saber.
Musicoterapia é ouvir música, utilizar sons, fazer música, tocar, cantar, movimentar, improvisar, criar, compartilhar, relaxar, extravasar, alterar tônus e muito mais. Ela é realizada por um musicoterapeuta qualificado, que passou pelo menos 3.000 horas se preparando no curso de graduação ou se pós-graduando.
Segundo a Federação Mundial de Musicoterapia: “é a utilização da música e/ou de seus elementos (som, ritmo, melodia e harmonia) por um musicoterapeuta qualificado, com um grupo, num processo para facilitar e promover a comunicação, relação, aprendizagem, mobilização, expressão, organização e outros objetivos terapêuticos relevantes, no sentido de alcançar necessidades físicas, emocionais, mentais, sociais e cognitivas. A Musicoterapia objetiva desenvolver potenciais e/ou restabelecer funções do indivíduo para que ele/ela possa alcançar uma melhor integração intra e/ou interpessoal e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida, pela prevenção, reabilitação, reabilitação ou tratamento.”
Em todo o mundo, podemos fazer tratamentos nesta área com profissionais devidamente capacitados. No Brasil, existem aproximadamente 3.000 profissionais formados e disponíveis em diversos ambientes da área de saúde, educação, consultórios, empresas etc. São registrados em associações de seus Estados, que estão filiadas à UBAM (União Brasileira de Associações de Musicoterapia). Os atendimentos são particulares, pelo SUS, gratuitos ou cobertos por ainda poucos planos de saúde.
A clientela pode ser variada e diversificada por faixas etárias, classes sociais e culturas. Existe uma única contraindicação: a pessoa que sofre de uma epilepsia mais rara, musicogênica, em que crises são desencadeadas por sons.
É uma terapia muito apreciada, inclusive em hospitais e em tratamentos paliativos. Não causa rejeição, ao contrário, desperta prazer e a sensação benéfica de vida e saúde. O vínculo terapêutico é muito mais rápido que outras terapias, porque a música intermedeia e agiliza essa relação. O paciente que passa por essa terapia costuma aceitar mais seu tratamento interdisciplinar e a entrada de outros profissionais, quase sempre aceitando melhor os tratamentos dolorosos e invasivos.
A música é nossa companheira, vitalizadora de toda uma vida antes mesmo de respirarmos, ainda abrigados em meio líquido. É a nossa referência de cada momento vivido, seja de prazer, alegria ou dor e saudade. Podemos utilizá-la sempre em nosso benefício, mas caso nossas fragilidades ou necessidades aumentem, podemos procurar um profissional qualificado para nos ajudar. Procure um musicoterapeuta em sua cidade. As sessões podem ser individuais ou em grupo.
 
Dicas de uma musicoterapeuta
 
Para Você:
Tenha o hábito saudável de ter um tempo diário para você. Alguns minutos por dia podem fazer uma grande diferença em sua saúde mental, física e até mesmo espiritual. Procure ouvir músicas selecionadas por você, que lhe façam bem e lhe tragam bem-estar. Se o melhor horário é antes de dormir, que seja, mas faça disso um hábito. Presenteie-se diariamente. Ame-se sempre!
A nossa identidade sonora é única. O que serve como musica relaxante para um, pode provocar reações contrárias em outro. Por isso, se não souber ainda o que lhe faz bem, pesquise pela internet ou diretamente nas lojas especializadas, ouvindo e sentindo o impacto que cada música pode lhe causar. Você merece! E vale a pena arrumar um tempo para isso. Em pouco tempo, já terá um repertório adequado e o efeito benéfico será visível.
Para muitos, o canto (videokê, aulas em casa, lazer) tem se tornado um hábito prazeroso, que traz benefícios respiratórios, inter e intrapessoais, na afinação, projeção e articulação de voz, melhoria de memória e ampliação de repertório. Experimente! Ou então, que tal entrar em um coral?
Existem muitos (((( o quê?)))) em segmentos variados, inclusive em ambientes de trabalho ou religiosos. Todos que participam geralmente ficam mais felizes, ampliam suas relações sociais e culturais, além de todos os benefícios enumerados anteriormente no canto. É comum também descreverem o efeito terapêutico do canto coral. 
 
Para Gestantes:
Ouça músicas selecionadas especialmente para seu bebê, de repertório tradicional familiar (bisavós, avós, mães, etc.) ou escolhidas exclusivamente para ele, logo após a 16ª semana. A audição do bebê já está plenamente desenvolvida ainda no ventre da mãe nessa fase. O hemisfério direito do cérebro do feto está em pleno desenvolvimento e as melodias e vozes estão ficando arquivadas, e serão reconhecidas assim que ele nascer. Nem precisa dizer o quanto ele ficará mais tranqüilo e se sentirá mais seguro. 
 
Para Idosos:
É sempre bom exercitar a memória, a irrigação cerebral, o tônus da boca e o humor para quem já viveu tanto, fez tanto, amou tanto e se encontra inativo. Tantas vezes solitário, depressivo, achando que não é amado ou valorizado. A melhor forma é viajar no tempo, nesse imenso repertório de vida, formado sempre por incontáveis canções, cantores, compositores, bandas, orquestras. Se você é da família, amigo ou cuidador, resgate essas músicas e o faça cantar, falar sobre elas e rememorar sua tão grande experiência de vida. Essa lembrança antiga pode ser trazida também para o presente com conversas sobre fatos acontecidos ontem ou há pouco. Muitas músicas do passado estão sendo regravadas por novos artistas e poderão ajudar a situá-lo melhor no presente e compartilhar gostos. A música é um ótimo instrumento para isso. A troca vai ser maravilhosa e enriquecedora.
 
 
Nydia do Rego Monteiro
Educadora Musical e musicoterapeuta. Pós-graduada em musicoterapia, é presidente da Associação de Musicoterapia do Piauí (AMT-PI).
E.mail: nydiadoregomonteiro@yahoo.com.br
Informações:
www.musicoterapia.mus.br (informações de todos os Estados)
http://www.musicoterapiabrasil.org.br
Blog -
www.musicoterapianopiaui.blogspot.com